Índice de Geotecnologias

Introdução ao Índice de Geotecnologias

O Índice de Geotecnologias tem como objetivo listar as principais ferramentas e produtos do mercado para a construção dos mais robustos softwares de GIS. Se quiserem adicionar algum item nesta listagem, entrem em contato através do Twitter (@gistechbr), Facebook (https://www.facebook.com/gistechbr) ou e-mail (wallace@gistech.com.br).

IMPORTANTE: O Índice de Geotecnologias é vivo, ou seja, está em constante atualização. Acompanhe as atualizações nos canais das redes sociais.

 

Índice

  1. Bibliotecas de visualização de mapas na web
  2. Geoserviços na web (gratuito)
  3. Softwares provedores de geoserviços
  4. Softwares especialistas em GIS
  5. Banco de dados espaciais

 

Bibliotecas de visualização de mapas na web

  • ArcGIS API for Javascript – Uma das mais robustas APIs Javascript do mercado para mapas na web. Funciona muito bem quando inserida no contexto do ArcGIS Server e dá suporte para leitura de serviços OGC (WMS, WFS e WMTS) e fontes de dados KML. Utiliza o toolkit Javascript Dojo para construção do seus widgets e infraestrutura interna, portanto se optar por esta API sugiro que construa sua interface também utilizado o Dojo. Também realiza funções básicas de relação espacial, o que pode facilitar a construção de pequenas rotinas de geoprocessamento sem a necessidade de ter algum processamento no servidor.

 

  • Openlayers – Biblioteca de código aberto muito poderosa e incrivelmente pequena, por utilizar o Closure Library da Google em sua construção. Funciona muito bem em dispositivos móveis e não requer nenhuma outra biblioteca Javascript para funcionar. Esta biblioteca tem a grande vantagem de ler diversos formatos de arquivos abertos para renderizar vetores no mapa, o que pode facilitar a construção de aplicações com fontes heterogêneas de dados, mas para isso requer que navegadores mais novos sejam utilizados (principalmente pelo uso do Canvas e do WebGL).

 

  • Leaflet – Biblioteca de código aberto muito popular e que traz todas as funcionalidades que um mapa simples na web tem que ter. Tem uma ótima performance tanto em dispositivos móveis como no desktop. Seu tamanho após a construção também é muito pequeno, o que pode ser importante se estiver construindo uma aplicação mobile. Lê mapas no formato WMS e Tiled (como OpenStreetMap)

 

  • Google Maps Javascript API – Única API que pode legalmente utilizar os mapa base do Google que tem talvez a maior cobertura mundial de imagens. Também já tem implementado o uso de todos os serviços geográficos disponibilizado pela gigante das buscas. Nativamente não dá suporte a outros tipos de mapas, mesmo os formatos do padrão OGC. Caso queira conectividade com estes serviços tem que buscar na web ou desenvolver algum objeto de Overlay customizado. Se seu software for utilizado em ambiente fechado (que necessite de autenticação do usuário como ambientes intranet) você precisará ter acesso à internet e também adquirir uma cota de uso, pois somente aplicações abertas e na internet que podem usar gratuitamente a API.

 

Geoserviços na web (gratuitos)

  • OpenStreetMap – Plataforma gratuita que fornece mapas no formato de Tiles (pedaços) e serviço de geocodificação (chamado de Nominatim). O método mais comum de utilizar estes serviços é utilizando alguma biblioteca de visualização de mapas citadas anteriormente. É importante dizer que os dados vetoriais deste serviço está disponível para download, ou seja, se precisar fazer análises espaciais com os dados exibidos no OpenStreetMap basta ter paciência para baixar terabytes de dados e depois fazer o trabalho de verificação de qualidade dos atributos.

 

  • ArcGIS Online – Fornece serviços de mapa (na plataforma ArcGIS) gratuitamente como mapas base, serviços básicos de geoprocessamento até mapas temáticos disponibilizados pelos usuários da plataforma.  Ideal para quem está desenvolvendo a aplicação no ecossistema da ESRI, incluindo a utilização da ArcGIS API for Javascript. A ESRI (fabricante do produto) disponibiliza em seu perfil no GitHub plugins para que outras bibliotecas utilizem seus serviços de mapa.

 

  • Google Maps Web Services API – Plataforma Google de geoserviços, além do serviço de mapas base que é utilizado automaticamente quando criamos um mapa utilizando sua API Javascript. Ideal para aplicações que tenham integração com redes sociais. O ponto de maior destaque fica para os serviços de geocodificação e rotas, que é muito completo e abrange todo o mundo. Fazer a aquisição de uma informação como essa custaria MUITO dinheiro.

 

Softwares provedores de geoserviços

  • Geoserver (gratuito) – Servidor de geoserviços de código aberto construído na linguagem Java. Fornece serviços no padrão OGC (WMS, WFS e WCS). Em constante desenvolvimento pela equipe o OSGeo Project. A confecção temática ainda se dá por meios manuais (arquivos de configuração), o que torna a manutenção dos geoserviços mais trabalhosa do que nas plataformas pagas.

 

  • MapServer (gratuito) – Servidor gratuito, porém sua instalação e manutenção dos geoserviços requerem conhecimentos mais avançados na plataforma Unix.  Também mantido pelo pessoal do OSGeo Project.

 

  • ArcGIS Server (pago) – Principal plataforma do mercado para geoserviços, criada pela ESRI. Além dos diversos serviços proprietários (que fornecem mais funcionalidades do que os serviços padrão OGC) também provê serviços no padrão aberto da OGC. Vários aspectos importantes para a criação de softwares GIS são contemplados nesta plataforma como: segurança de acesso aos geoserviços e formatos SOAP e REST de comunicação. A manutenção do ambiente e dos geoserviços se dão de forma integrada com o ArcGIS for Desktop. Ponto importante: a documentação e o suporte são muito bons.

 

  • Geomedia Webmap (pago) – Plataforma de WebGIS da Hexagon. A maioria dos seus serviços são no formato OGC, o que garante interoperabilidade. Funcionalidades adicionais devem ser desenvolvidas através de seu SDK (em .NET). Totalmente integrado com a suite Geomedia Essentials para a manutenção dos geoserviços.

 

Softwares especialistas em GIS

  • ArcGIS for Desktop (pago) – É o software especialista de GIS mais conhecido do mercado. Engloba diversos aspectos do geoprocessamento como geoestatística, manipulação de dados matriciais, análise de rede, análise espacial, cartografia digital, análise 3D e diversas outras ferramentas. Muito completo e com documentação muito boa, além de uma ampla comunidade para tirar dúvidas – a Geonet. Ponto de partida para criação dos geoserviços publicados no seu servidor GIS, o ArcGIS Server.

 

  • Geomedia (pago) – Software poderoso para GIS, porém não tão conhecido como seu principal concorrente, o ArcGIS. Se conecta com uma variedade de fontes de dados e realiza diversas funções de tratamento de dados espaciais e também de geoprocessamento. Melhor utilizado quando interage com os outros softwares da família Geomedia (Webmap, SDI, etc).

 

  • FME – Feature Manipulation Engine (pago) – É basicamente uma ferramenta de ETL para GIS. Não se deixem enganar pela simples introdução: é a ferramenta mais poderosa no quesito interoperabilidade de dados. Lê diversos formatos comuns no mundo GIS (tanto no formato vetorial como matricial) e permite a criação de complexos geoprocessamentos através de uma ferramenta visual muito poderosa. Não substitui o uso de um software especialista como o ArcGIS, Geomedia ou o QGIS, mas diria que é um software que toda grande empresa que trabalha com geoprocessamento deveria observar. Existe uma suíte que também tem um servidor que roda os fluxos de geoprocessamento no servidor (ou nuvem).

 

  • QGIS (gratuito) – Ferramenta open source muito conhecida pela comunidade GIS. Fornece quase todas as funcionalidades que as opções pagas oferecem, inclusive através de plugins disponibilizados pela própria comunidade. Mais um produto relacionado ao OSGeo Project.

 

  • gvSIG Desktop (gratuito) – Mais uma ferramenta de ótima qualidade e com código para trabalhar com geoprocessamento. Constantemente em atualização, o time de desenvolvimento fornece ótimo apoio para dúvidas e problemas com o produto.

 

Banco de dados espaciais

  • PostGIS – Banco de dados PostgreSQL com cartucho espacial. É a solução mais conhecida de banco de dados espacial (inclusive por ser uma alternativa gratuita e robusta). Suporta tanto dados vetoriais como matriciais, e fornece uma poderosa linguagem SQL para manipulação destes dados diretamente do banco, sem a necessidade de utilizar um software especialista GIS para operações mais básicas.

 

  • Oracle Spatial e Locator – Um dos mais robustos banco de dados do planeta, também oferece suporte completo para dados espaciais. Se tiver acesso a este produto na sua solução de software, não hesite em utilizar ele.